FBAC

12967929_10209589353513466_2529874226013108832_o

Diretor Executivo da FBAC, Valdeci Antonio Ferreira

Se as APACs são criadas a partir da mobilização das comunidades em que se encontram, tendo relação direta com a realidade de cada local, como é possível garantir a devida uniformidade na aplicação do Método em diferentes cidades pelo mundo?* A aposta está na formação, divulgação e fiscalização. Com base nesses eixos atua a FBAC – Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados.

Filiada à Prison Fellowship International, órgão consultivo da ONU para assuntos penitenciários, a FBAC é constituída como associação civil de direito privado sem fins lucrativos. A ela estão conveniadas todas as instituições que procuram se identificar com o Método. Assessorar a aplicação deste fora do país e prezar pela uniformidade das APACs em território nacional é a principal razão de existir da FBAC, que visa, assim, à consolidação e expansão desse trabalho de humanização no cumprimento da pena.

Para cumprir a sua missão, a instituição promove congressos e seminários sobre o sistema prisional e o Método; fornece orientações e material didático para os cursos nas APACS voltados a seus funcionários e voluntários; provê assistência jurídica às APACs, especialmente em seu processo de implantação; realiza visitas de inspeção às unidades em funcionamento no Brasil e mantém diálogo constante com aquelas atuantes no exterior.

Fundada em 1995, sob a liderança do Dr. Mário Ottoboni (também criador do Método e fundador da primeira APAC), na cidade de São José dos Campos, em São Paulo, a FBAC foi transferida, em 2004, para Minas Gerais – estado brasileiro que se destaca no investimento em APACs, sobretudo a partir do Programa Novos Rumos – com sede atual no município de Itaúna, a 76 km de Belo Horizonte.

Para mais informações, acesse o Portal FBAC.

* Atualmente, são mais de 100 APACs no Brasil, ativas ou em processo de implantação, além de unidades inspiradas no Método APAC em quase 30 países.